Archive for the ‘Sociedade’ Category

h1

Criolo Doido no Wu Brasil e Show de Lançamento do Novo DVD

março 8, 2010

Sandrão convidou o MC Criolo Doido para fazer parte do WU Brasil na última terça (23.02.10, às 21h no metrô Paraiso), foi o local e a hora do convite.
Nesta entrevista que segue abaixo, Criolo diz o que achou e muito mais…

Buzo: E o convite do Sandrão, como é fazer parte do WU Brasil ?
Criolo: Sempre fui fã e sempre me foi inspiração, tanto o WU Tang Clan, quanto o RZO, ainda não caiu a ficha, segundo o Sandrão, ele vai estar no lançamento do DVD para oficializar o convite publicamente.

Fonte: http://oportalrap.blogspot.com
Leia Mais: http://oportalrap.blogspot.com/2010/02/criolo-doido-e-convidado-para-o-wu.html

Baixe aqui o CD completo “Ainda Há Tempo” de Criolo Doido

No dia 27 de fevereiro, sábado, teve Rinha dos MC’s Especial. O motivo fpi o lançamento do DVD Criolo Doido Live in SP. O evento foi promovido na Hole Clube, que fica na Rua Augusta, 2203, em São Paulo/SP. A noite teve grande atrações e para embalar a festa os Dj’s Dan Dan, Marko e Kiko. Criolo Doido convidou alguns parceiros para subirem no palco, entre eles o grupo Pentágono, o Mc Funkero do Rio de Janeiro, Xe.Ma.La.Mi. A festa ainda teve uma apresentação da tradicional roda de samba de Grajauex.

Capa do DVD Criolo Doido Live in SP

Capa do DVD Criolo Doido Live in SP

A Rinha dos MC’s é um dos mais tradicionais eventos de hip hop de São Paulo. A idéia nasceu no extremo sul da capital paulista devido a necessidade de um espaço para promover o diálogo entre jovens artistas daquela região. As apresentações são bem ecléticas e contam com rap, maracatu, mpb. São promovidas também exposições de fotografia e graffiti. A Rinha dos MC’s tem como objetivo principal contribuir com o hip hop, promover o diálogo e a valorização das artes da rua. O evento que começou na Zona Sul agora é promovido no Centro para facilitar o acesso de todos. Mais informações sobre a Rinha dos MC’s e sobre o DVD Criolo Doido Live in SP podem ser obtidas através do email: criolomc@gmail.com

Fonte: Clube do Berro

Anúncios
h1

Conexão Hip-Hop @ SESC Barra Mansa

dezembro 13, 2009
evento de hip-hop

Conexões Hip-Hop SESC Barra Mansa

Evento Conexões Hip Hop (Lançamento do CD ‘Antes do Solo’ e Leão Conquistador):

Local:

SESC – Barra Mansa:

Show com:

Bgame
1/4 Produções

Serviço:

R$ 8,00 Comunidade
R$ 4,00 Estudantes
R$ 2,00 Comerciarios

Obrigado pela atenção.

Issoéhiphoppositivo!

Assesoria Bgame

h1

3º Favela Agradece

novembro 19, 2009
flyer 3º favela agradece

3º Favela Agradece - Monte Cristo

Nesse Domingo, 22 de Novembro acontece o 3º Favela Agradece, a partir das 13:00 hs, no conjunto habitacional Panorama, bairro Monte Cristo em Florianópolis – SC.

O evento é gratuito e vai rolar graffiti com Ldrão, Valdi e 3C; e muito RAP com Arma-Zen e Keniano.

Organização

Arma-Zen
Nós por Nós

Agradecimentos especiais a Angela Souza que me enviou o flyer oficial do evento.

Mapa para o Evento

h1

Projeto Xadrez Sem Muros

novembro 16, 2009
Flyer Projeto Xadrez Sem Muros

Flyer Projeto Xadrez Sem Muros

Acontece em São Paulo nos dias 08 e 22 de Novembro um grande evento em prol da cultura Hip-Hop, com diversas atividades, como partidas de Xadrez, shows de RAP, Grafite, Skate e a Tribuna Livre (microfone aberto).

Se apresentam nesses dias os grupos Inflowents, Galez de Fyah, Xemalami e Clube do Berro.

O local do evento será na Praça Anísio Barbosa, em frente a creche do Jardim Reimberg no Grajaú (ver mapa)

Este evento é uma realização do grupo Xemalami e da VAI; com apoio da comunidade local, Instituto Sou da Paz e Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo.

== ATUALIZAÇÃO ==

Recebi essa semana um e-mail do pessoal do Clube do Berro me avisando que já haviam alguns vídeos do evento no YouTube. Assista aqui as duas músicas realizadas pelo grupo:

h1

Projeto Introdusom – Novo Endereço

julho 1, 2009

Um dos meus sites favoritos de rap (tanto que foi um dos primeiros links a figurar aqui no Cena Hip-Hop) acaba de ganhar novo endereço. Com o visual reformado, o projeto continua com as mesmas características que me chamaram a atenção no princípio: material de qualidade.

Para visitá-los a partir de agora, usem este endereço:
http://www.blog.ritmoepoesia.net/introdusom/

h1

Maconha: Rumo a Legalização?

junho 16, 2009

Espaço de Publicidade
| CD’s de RAP | Discos de Vinil de RAP | DVD’s de RAP | Mesa de Som |
Ajude o Cena Hip-Hop

Atualização: Leitura recomendada http://moca-do-sonho.blogspot.com/2009/06/maconha-hora-de-legalizar.html

Um dos temas frequentemente abordados entre usuários e normalmente ignorado entre os “caretas”, a legalização da maconha tem sido bastante discutida em diversos meios. Acredito que vivemos em uma época onde a discussão dos valores sociais se torna cada vez mais importantes, principalmente quando começamos a ver que as medidas tomadas em relação ao consumo de drogas recreativas há 20 anos atrás, surtiram um efeito contrário do esperado.

Bem, acredito que a legalização da cannabis seja tão polêmica porque cria logo uma brecha para que se legalizem todas as drogas, já que o argumento de liberdade serve para todos. No entanto, é preciso repensar um pouco certos conceitos, até mesmo sobre a maconha, para que possamos ter a liberdade sem causar um grande impacto social.

Drogas já legalizadas

O mais incrível quando se toca nesse assunto, é que eu paro para pensar como somos sujeitos a dezenas de outras drogas que muitas vezes nos fazem mal, tanto quanto ou mais que, as drogas ilegais.

Claro, não vamos comparar aqui os efeitos do crack em relação a um anti-gripal, mas a questão é que as mesmas pessoas que criticam o uso da cannabis, muitas vezes são viciadas em anti-depressivos, remédios para emagrecer, vitaminas e muitas outras substâncias que usadas incorretamente podem levar até à morte.

Vou me ater a citar aqui as duas mais comuns, que se vê todos os dias: cigarro e bebida. O consumo do álcool no Brasil já é considerado cultural, afinal de contas todo mundo gosta de uma cervejinha depois do trabalho. A verdade é que a bebida é uma droga letal, socialmente perigosa (alguém aí falou “briga de bar”?) e potencialmente danosa para a vida familiar, porém, é legalizada.

Enquanto a maconha também possui algumas dessas características também, segundo a Organização Mundial da Saúde, ela é menos perigosa (relevando fatores sociais, de saúde e familiares), do que o álcool. Os efeitos psicotrópicos de um baseado são muito menos extremos do que um porre.

Então por que ainda existe tanto preconceito quanto ao uso da cannabis? Por que as pessoas que nos proíbem de usa-la muitas vezes são usuários de outras substâncias muito mais nocivas? Aposto que o cara que assinou a lei o fez bebendo um uísque e fumando um cigarro, então até onde vai a hipocrisia do brasileiro?

Conscientização

O fator mais importante em um processo de legalização é o ato de conscientizar a população sobre seu uso. Mesmo aqueles que amam a maconha, é preciso saber que o uso exagerado de QUALQUER substância faz mal a longo prazo. Já foi comprovado que o baseadinho pode causar câncer tanto quanto cigarro, e todo mundo que usa sabe dos problemas de memória que ela causa. Todos os efeitos da cannabis deveriam ser estudados com mais seriedade, a população deveria estar consciente do que acontece ao utilizar determinadas substâncias, pois o desconhecimento é que leva a experimentação.

Se queremos um país legalizado, temos que ter uma país consciente também, onde as pessoas saibam dos males causados pelas substâncias que usam, para assim poderem utilizá-las de forma adequada e sem tantos riscos para a saúde.

Sociedade

Estar em uma sociedade “legalize” não quer dizer que agora todo mundo pode sair na rua fumando um baseadão e pronto. Temos que ter a consciência de que existem locais mais propícios para tal, como dentro de casa e, hipotéticamente, clubes, cafés e estabelecimentos específicos para tal, com estrutura para que a pessoa possa consumir sem correr riscos e também sem incomodar aqueles que não fazem parte disso.

Até por haver muito preconceito em relação ao uso da maconha e também por questões de influência social, se fizermos mal uso de uma liberdade dessas, ela não servirá de nada. Outra coisa importante é ensinar a juventude sobre as drogas, seus efeitos e suas consequências, pois como um garoto de 14 anos vai negar algo que ele não conhece? A curiosidade na adolescência leva a diversos vícios, como bebida, cigarro, maconha, cocaína e por aí vai… Se o jovem estiver consciente do que pode acontecer com ele, estará muito menos propício a cair nessas armadilhas.

Comércio e Tráfico

Uma das maiores preocupações das autoridades sobre o uso de drogas psicoativas é justamente o tráfico, que além de prejudicar a sociedade como um todo, acaba prejudicando o próprio usuário e traficante. Afinal de contas, ao vender cannabis, ele se torna um criminoso, enquanto montar um bar não lhe trará nenhum incomodo com a lei. Com a legalização haveria ainda um comércio paralelo, acredito, porém em escalas muito mais controláveis.

O Brasil apresenta o clima ideal para o cultivo da cannabis e diversos outros produtos podem ser extraídos da planta, não apenas o fumo. A fibra da cannabis sativa é a fibra mais resistente da natureza, ideal para a confecção de roupas, cordas, sapatos e já existem até bancos de carro feitos do material. A Adidas é uma das marcas que investiu forte nesse mercado, lançando toda uma linha de produtos feitos com a fibra de cannabis. Fora isso, o consumo legalizado traria consigo também taxas e impostos que poderiam ser usados nas áreas da saúde e educação por exemplo, além de gerar novos mercados, o que vai gerar novos empregos e novas fontes de renda. Parte do dinheiro das vendas poderia ser utilizado até mesmo para as campanhas de conscientização do uso ou na recuperação de dependentes de drogas mais fortes como o crack e a cocaína, tirando um certo peso das costas dos cofres públicos.

Concluindo

Minha opinião é de que o processo de legalização da maconha seria muito benéfico, mas é um processo e deve ser levado com seriedade e compromisso social, para que essa liberdade seja utilizada da melhor forma possível. Isso levará tempo, mas acredito que acontecerá mais cedo ou mais tarde.

Bem, resolvi escrever esse artigo inspirado por uma notícia publicada na Comunidade Movimento C.O.N.E. do grupo ConeCrew. Recomendo a leitura e participação. E não esqueça de deixar sua opinião aqui também, seja você pró ou contra legalização, queremos ouvir as sugestões de todos. A discussão desse tipo de tema é essencial para que se possa chegar na melhor solução.

Espaço de Publicidade
| CD’s de RAP | Discos de Vinil de RAP | DVD’s de RAP | Mesa de Som |
Ajude o Cena Hip-Hop

h1

Presidiárias lançam grife de moda em Milão

maio 29, 2007

Espaço de Publicidade
| CD’s de RAP | Discos de Vinil de RAP | DVD’s de RAP | Mesa de Som |
Ajude o Cena Hip-Hop

“As presidiárias que participam da cooperativa são tão dedicadas que muitas vezes viram a noite trabalhando. O trabalho é de fato a chave, é o que dá sentido ao tempo de detenção”, disse o diretor da cooperativa, Alessandro Brevi, à agência italiana Ansa.

Segundo Brevi, a iniciativa mudou a vida de centenas de presidiárias e reduziu drasticamente os índices de reincidência criminal.

Via BBC Brasil

Presidiárias lançam grife de moda em Milão São iniciativas como essa que faltam no Brasil. Empresas do setor privado, unidos ao Governo, podem propor inciativas dentro dos presídios para diminuir a criminalidade e também diminuir o sofrimento de quem está lá dentro. Ninguém que está preso é santo, mas isso não quer dizer que não mereça uma segunda chance.

Assim, poderemos trabalhar a prisão não como punição, mas como regeneração do ser humano, que muitas vezes está lá por não ter tido as oportunidades certas na sociedade. No Brasil, as cadeias são verdadeiras faculdades do crime, onde os presos usam seu tempo ocioso para maquinar novas formas de crime (como o golpe do sequestro, deflagrado no início do mês).

Isso precisa mudar. A prisão deve ser um órgão responsável por preparar o cidadão para voltar à sociedade, podendo assim retomar sua vida e até mesmo melhorar a sua realidade, diminuindo a reincidência de ex-detentos. Ninguém precisa ser criminoso para sobreviver… muitas vezes essa é a opção mais viável, mas se cada um fizer sua parte, com certeza conseguiremos diminuir a criminalidade ao mesmo tempo que ajudamos muita gente que passa necessidade e entra para a vida do crime por falta de opções.

Espaço de Publicidade
| CD’s de RAP | Discos de Vinil de RAP | DVD’s de RAP | Mesa de Som |
Ajude o Cena Hip-Hop